• GTmetodo 9julho insumo1

last modified July 9 by facilitfsm


Consolidaçao  feita apos  reuniao   subGT1


Anotações:

A principal base de ordenação da dinâmica temático-metodológica do FOSPA é a caracterização do FOSPA  como um processo de articulação, da diversidade dos povos, pensamentos e ações em torno da defesa e cuidado da Amazônia.

Nós nos definimos FÓRUM, porque nos entrelaçamos nesta grande rede implica uma dinâmica de diálogos ao redor de ações conjuntas que provocamos. É sobre construir compromissos conscientes, não é uma articulação mecânica ou burocrática.

SOCIAL, porque nos reconhecemos como uma diversidade de sujeitos coletivos com diferentes pensamentos e práticas que buscamos integração territorial e comunidade como alicerce do Bem Viver.

PAN, porque a articulação é entre organizações que fazem parte de diferentes países e a forma de expressar essa condição politica de representar porque a nossa identidade concreta  e particular  ; que é o enraizamento com a essência multidimensional de ser Amazonia que nos chama à defesa do cuidado dos territórios em uma decisiva aposta pela vida (Documento metodológico do IX FOSPA).

Eixos do IX FOSPA: POVOS, CULTURAS E IDENTIDADE AMAZONIDA; TERRITORIOS E CAMINHOS DE VIDA; AUTONOMIAS E GOVERNO COMUNITARIO.

Consolidamos nos seguintes princípios integradores (documento metodológico IX FOSPA) agregados aos princípios elencados pelo GT Metodologia (X FOSPA). A proposta metodológica para o X FOSPA que garanta os princípios que definimos  aqui no GT metodologia.

 

 

I.                    PRINCÍPIOS DE INTEGRAÇÃO:

 

-Coerência e ou sentido de relevância: Capacidade de estar de acordo entre o nosso fazer e o que deve ser o cuidado da Amazônia para viver com dignidade;

 

-Participação efetiva no processo dos Movimentos Sociais: a construção coletiva do conhecimento é a base fundamental para a articulação de ações transformadoras, para o cuidado e defesa da Amazônia na perspectiva das comunidades e sociedades do Bem Viver. Que cada entidade, movimento, coletivo possa falar por si próprio  e que todas as vozes permanecem vivas e reconhecidas;

 

-Ação sem dano:  Assumir uma atitude de total comprometimento com o meio ambiente amazônico, o que torna a FOSPA uma experiência pedagógica de vida comunitária

-Ação propositiva: No sentido do fortalecimento programático e organizacional das alternativas, da análise dos problemas, que já tiveram um amplo estudo em vários eventos anteriores. É sobre não separar; a análise do problema deve ser o fundamento para as propostas.

 

-Ação transformadora, fomentando espaços de participação direta e real das diversas comunidades da Amazônia nas iniciativas de defesa e cuidado do território amazônico, convocando à solidariedade de outras e outros atrizes e atores, de perspectiva de  outros cenários nacionais e internacionais

 

-Ancestralidade. Ressaltando os modos de pensar que os povos indígenas que hoje habitam a Amazônia  tem nos apontado elementos para viver e ver outras maneiras de  entendermos o estar no mundo como parte da natureza. As memórias vivas das comunidades amazônicas tem uma importância ecológica que em tempos de crise ambiental são inestimáveis. O resgate das memórias são decisivos na recuperação de conhecimento ancestral

 

-Espiritualidade: As alternativas para enfrentar a crise civilizacional precisam enraizar-se em um sistema de crenças e valores que transcende a racionalidade. Ter presentes, a identidad  e diversidades , outras cosmologías que incorporam saberes ecológicos e sociales, é una oportunidade para cuestionar sistemas epistemológicos ancorados  em racionalidades de apropiação, competência e  hierarquização,  que aliena os povos de suas consciências , do sentido de comunidade e de produtoras de vida.

 

-Equidade de gênero numa perspectiva antiracista, antipatriarcal, anticapitalista e em defesa dos territórios : A falta de valorização da vida que se engendra na Amazônia,

como pela vida que as mulheres engendram, tem gerado violência dirigida tanto a

território como mulheres. É por isso que abraçamos as premissas do feminismo comunitário a partir do qual pretendemos que se reconheça o capitalismo e o patriarcado como elementos fundamentais de todas as dominações que impedem a liberdade das mulheres e não continuar a pensar que são movimentos separados o do feminismo pelo direito das mulheres e o outro o das classes populares na luta da defsa dos territórios.

 

- Respeito às diversidades e inlusão social : Fospa se afirmar como antimachista, anticapitalista, antirracista e não  lesbotransfobico. Incorporando  como elementos   e parte estruturante e inerente desde o projeto até as discussões e ações as dimensões das diversidades de raça, etnia, orientação sexual e identidade de gênero e o anticapitalismo       

 -Cuidado, amorosidade e  solidariedade: Zelar por práticas de  Afetividade,       amorosidade, acolhimento e cuidado  na dinâmica dos diversos processos entre nós e coletivamente .

- EDUCAÇÃO POPULAR, COMUNITÁRIA E MOVIMENTOS SOCIAIS – Discutir a  metodologia de educação que articule os diferentes saberes e práticas, as dimensões da cultura e dos direitos humanos, o compromisso com o diálogo e com o protagonismo das classes populares nas transformações sociais incorporando outras linguagens como as artes, cultura popular e místicas;

 

II.                  Propostas surgidas das reuniões do GT METODOLOGIA X FOSPA  (dia 2-07) e sub grupo Seminário (dia 06-07)

 

Realizar  Seminário Internacional em dois dias e meio, no mês de agosto, articulando as dimensões metodológica e político-programática, com base nos princípios e diretrizes metodológicas do FOSPA.

Trabalhar uma ideia central de qual será a característica do X FOSPA, ou seja, o que o diferencia dos anteriores, qual pode ser o seu selo? Para isso, será imprescindível ler a Carta de Mocoa como referência última daquilo que ela define e ter como referência também o processo metodológico do IX FOSPA da Colômbia . Com esses elementos é possível definir melhor a metodologia do X FOSPA

 

  1. Sobre o desenho do seminário:

 

     A proposta metodológica do X FOSPA  tem que ser desenhado a partir desse seminário de agosto onde as propostas surgirão a partir de diálogo de princípios e  processos centrais e temáticos que vão dar andamento ao processo do X FOSPA;

     Nesse sentido temos que pensar o que temos a avançar a partir das edições anteriores, das cartas, em especial a carta de MOCOA, das iniciativas, das ações dos diversos movimentos. Pensando que temos que pensar num  contexto regional que é dinâmico não estático.

     Seminário Internacional articulando as dimensões metodológica e político-programática, com base nos princípios e diretrizes metodológicas do FOSPA";

     Realizar a tradução do evento além das traduções já  feitas atualmente buscar traduzir para outras diversas línguas inclusive as línguas indígenas.

     Incorporar nos debates das Mudanças Climáticas, anticapitalismo, Capacitismo, Inclusão e Acessibilidade, diversidade de raça, etnia, orientação sexual e identidade de gênero, racismo, machismo e o Diálogo Inter-cultural e Inter-religioso;

     Identificar os possiveis processos centrais e temáticos que diferenciam e caracterizam o IX FOSPA

 

 

  1. Sobre a metodologia do Seminário e elementos a serem discutidos:

3.1 Recuperar  a  memória histórica recorrendo ao IX FOSPA :ênfases, ideias, iniciativas, cartas

3.2. Recolher dessa história os marcos ou eventos significativos e em uma atmosfera de celebração "fazer memória". Utilizando recursos metodológicos lúdicos, atisticos, novas linguagens;

3.3. Leitura da realidade: Contexto regional e global e seu impacto nos processos do  Fospa - definir pontos críticos ou questões geradoras da dinâmica social e conjuntural atual;

3.4 - Como Trabalhar com as Ações de Iniciativas: Agendas, Processos e Harmonização com o Processo Fospa. Identificar os procesos sociais centrais que estão hoje en vigencia, e que se converteram  referencia, por exemplo, o Tribunal das mulheres

3.5 Desenvolvimento das  Alianças: Nacionais, regionais e globais

3.6. Revisar a Metodologia do FOSPA:

3.7. Rever o aspecto político-programático

3.8. Conclusão:  quais etapas metodológicas e ênfases político programática para o X FOSPA?

- Trabalho nos países: Pre fóruns (Natureza, temas e metodologias)

- Papel da comunicação, sistematização e pesquisa na atualidade do processo  do  X fospa;

- Definir o papel dos comitês dos países e locais ;

- Papel do comitê do Brasil: Coordenação e plano de trabalho: logística, financiamento, voluntários;